Translate

Administração de Materiais

Palavras-chave: Administração de Materiais; globalização; tendências.

1. INTRODUÇÃO

A Administração de Materiais tecnicamente bem aparelhada é, sem dúvida, uma das condições fundamentais para o equilíbrio econômico e financeiro de uma empresa. (FRANCISSH & GURGEL,2002).

Geralmente, pode-se observar uma correlação entre a má administração de materiais em uma empresa e conseqüências com problemas financeiros. Daí, a importância de elaborar um programa para a implantação de uma Administração de Materiais bem organizada, estabelecendo-se objetivos financeiros e administrativos bem definidos.
Uma Administração de Materiais deficiente utiliza mal os recursos financeiros escassos, muitas vezes sem resultados na área produtiva ou, como é mais grave, no nível de atendimento ao público.(Francischini & Gurgel, 2002,p.2)
O grande objetivo da Administração de Materiais é com muita estratégia eliminar da produção todos os itens que não tem uma certa rotatividade no estoque, ou seja, retirar de movimentação os itens que estão inertes no estoque, sem muita demanda, transferindo, portanto o investimento que ficaria sem movimentação por um período mais longo, por materiais com alta rotatividade.
Reduzir custos com a globalização é atitude crucial para que as empresas consigam manter-se no mercado. E, é nesse contexto que será abordada ao longo desse artigo às tendências da Administração de Materiais.
Inicialmente será feita uma análise da evolução da Administração de Materiais, sua importância para a sobrevivência das empresas no mercado competitivo, os objetivos, tal como as novas tendências e métodos que vêm sendo utilizados pelas empresas.

2. EVOLUÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS
Segundo Francischini & Gurgel (2002), a evolução da Administração de Materiais processou-se em várias fases:
· A Atividade exercida diretamente pelo proprietário da empresa, pois comprar era a essência do negócio;
· Atividades de compras como apoio às atividades produtivas se, portanto, integradas à área de produção;
· Condenação dos serviços envolvendo materiais, começando com o planejamento das matérias-primas e a entrega de produtos acabados, em uma organização independente da área produtiva;
· Agregação à área logística das atividades de suporte à área de marketing.

Com a mecanização, racionalização e automação, o excedente de produção se torna cada vez menos necessário, e nesse caso a Administração de Materiais é uma ferramenta fundamental para manter o equilíbrio dos estoques, para que não falte a matéria-prima, porém não haja excedentes.
Sendo assim, pode-se conceituar a Administração de Materiais como a atividade que planeja, executa e controla, nas condições mais eficientes e econômicas, o fluxo de material, partindo das especificações dos artigos e comprar até a entrega do produto terminado para o cliente.(FRANCISCHINI & GURGEL, 2002).

[..] Tomou grande impulso a partir do momento em que a logística se estendeu muito além das fronteiras das empresas, tendo como principal objetivo atender às necessidades e expectativas dos clientes, No formato tradicional, a administração de materiais tem o objetivo de conciliar os interesses entre as necessidades de suprimentos e a otimização dos recursos financeiros e operacionais das empresas(GONÇALVES, 2004, p.2).
Essa evolução da Administração de Materiais ao longo dessas fases produtivas, baseou-se principalmente, pela necessidade de produzir mais, com custos mais baixos. Atualmente a Administração de Materiais tem como função principal o controle de produção e estoque, como também a distribuição dos mesmos.

3. TAREFAS DA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS
Conforme apresentado por Francischini & Gurgel (2002), a Administração de Matérias possui importantes tarefas. Principalmente, administração de compras, planejamento e controle da produção, distribuição e tráfego.
Uma das tarefas mais importantes da Administração de materiais é conseguir uma economia dos materiais no processo produtivo. Sendo assim, é necessário um bom planejamento de tarefas específicas a seguir:
· Sistema Econômico de transporte;
· Recebimento bem informado para somente receber o material adequado para empresa;
· Atenção especial para detectar desperdícios mínimos, mas repetitivos;
· Não permitir a deteriorização dos materiais de combate;
· Facilitar a reciclagem de todos os materiais de maneira seletiva e proveitosa;
· Controlar perdas nas embalagens de produtos acabados.
· Planejar a reutilização de embalagens;
· Compras eficientes gerando abastecimento com qualidade, pontualidade, condições financeiras e preço baixo;
· Abertura no tratamento com os fornecedores e uma negociação sistemática para o aprimoramento do fornecimento.
· Utilização de novas tecnologias, ainda não dominadas integralmente pela empresa.
· Simplificação do projeto do produto e padronização de sues componentes.
Essas são, portanto os princípios básicos para que a Administração de Materiais inicie seu processo com eficiência e eficácia.
A redução dos investimentos em estoque, atualmente, tornou-se crucial para a sobrevivência das empresas. Observa-se que, em muitas empresas, principalmente de máquinas e equipamentos mais caros e maiores, há uma demanda que precisa esperar a produção da mercadoria, pois nem sempre, há em estoque grande quantidade das mesmas.
È importante ressaltar, que a informatização, vem sendo de grande importância para a evolução e dinamização desse processo.
Os tópicos acima relacionados demonstram as tarefas da Administração de matérias. Atualmente, as empresas estão utilizando-se de novas técnicas em prol de atingirem esses objetivos.

4. TENDÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS
As tendências para a Administração de materiais surgem principalmente com o avanço da tecnologia.(MARTINS & ALT2000).
As principais técnicas ligadas à administração de materiais são:
Just-in-time (JIT), é um sistema em que os fornecedores devem mandar os suprimentos à medida que eles vão sendo necessários na produção.Não há um estoque permanente. Portanto, esse sistema tem como objetivo eliminar tudo o que não agrega valor ao produto ou serviço, utilizando-se de baixos inventários desde o fornecedor até o produto acabado posto no cliente. Portanto, esse sistema não só melhora a qualidade do produto como também, reduz o custo do produto e contribui na agilização da entrega dos mesmos.
Fornecedor preferencial. È uma técnica que consiste em selecionar fornecedores e garantir qualidade, eliminando testes de recebimento e garantindo feedback e correção de defeitos da fábrica do fornecedor. A escolha do fornecedor preferencial dá segurança a credibilidade da qualidade do produto final, para que o mesmo atenda às expectativas dos clientes. A parceria entre muitas empresas vem contribuindo atualmente e muito para a eficiência da Administração de Materiais. Muitas empresas têm contratos entre si. Ou seja, a empresa que finaliza o produto final, solicitando as matérias-prima necessárias, serão atendidos com disponibilidade e agilidade para atender o cliente, facilitando, portanto a necessidade de grandes estoques.
Programação de fornecedores. Manter um esquema de alimentação contínua da programação e controle da produção (PCP) do fornecedor com as necessidades de entrega, evitando o trânsito de papéis. Um exemplo dessa tendência é o ECR uma estratégica bastante utilizada no setor de supermercados na qual distribuidores e fornecedores trabalham em conjunto para proporcionar maior valor ao consumidos e minimização de custos. Os produtos são identificados com código de barras, há intenso uso de EDI, padronização dos transportes e, o mais importante, uma forte aliança entre fornecedor de distribuidor.
O Kanban é uma tecnologia de controle de fábrica pela qual as necessidades de entregas determinam os níveis de estoque no decorrer do processo. O Kanban não empurra a produção, elo a puxa.
O Kanban é um sistema de medidas de trabalho adequadas. A partir de controle sistematizados programas que organizam todo o processo produtivo, das quantidades a serem produzidas em cada seqüência, até a retirada dos produtos com defeitos.
Qualidade em tempo real usa o controle estatístico de processo (CEP) para detectar rapidamente variações perante o padrão, identificando causas assinaláveis de defeitos e estabelecendo diagnósticos para ações corretivas. O CEP utiliza-se da probabilidade para, a partir de uma amostra, extrair conclusões genéricas sobre os processos. Se o índice estipulado for 98%, e dentre100 processos examinados 5

estiverem fora do padrão, os processos terão de ser revistos. Para análises mais profundas, a técnica da qualidade em tempo real pode utilizar-se de outra ferramenta estatística, o delineamento de experimentos - DOE (design of experiments).

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A administração de materiais tem uma preocupação constante em procurar medidas de seu desempenho. Sua importância para a sobrevivência no mercado da empresa é notória, conforme os dados apresentados. Com a crescente globalização, é preciso que as empresas se preocupem em se modernizar, diminuir custo, e produzir com o máximo de eficiência e eficácia.
Com a intensa forma que a tecnologia desbrava novos experimentos. Pode-se dizer que essa tendência tecnológica já existente acelerará ainda mais seu processo. As empresas usarão cada vez mais sistemas computadores e de informação que possibilitem à Administração de Matérias a eficiência cada vez mais desejada.
O que se pode dizer, com base nos dados apresentados, é que à Administração de Materiais, torna-se a ferramenta de ignição do novo perfil de empresas no mercado. Abaixar custos de produção, produzir com qualidade e eficiência, aumentar a liquidez das empresas sem estoques inertes, ter agilidade para entregar o produto, diminuindo o tempo do processo produtivo, sistematizar com eficiência a empresa. Portanto, esses objetivos deixam de ser apenas objetivos e tornam-se técnicas de sobrevivência das empresas no novo mercado globalizado.
Os investimentos em estoque necessitam de um planejamento estratégico bem definido para evitar gastos desnecessários, aumentando o custo do produto.
Portanto, analisar, responsabilizar e dar destino aos materiais de uma empresa, com eficiência e eficácia, utilizando-se de técnicas avançadas e modernas, é função da Administração de Materiais.


6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

GONÇALVES, P. S. Administração de materiais: obtendo vantagens competitivas. Rio de Janeiro:Elsevir, 2004.

FRANCISCHINI, Paulino G.; GURGEL, Floriano A. Administração de Materiais e do Patrimônio,São Paulo:Pioneira Thomson, 2002.

MARTINS, Petrônio G; ALT, Paulo R. Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais.